As estrias surgem quando a pele sofre um estiramento muito intenso e as estruturas responsáveis pela sua integridade (colágeno e elastina) não conseguem suportar a grande pressão e se rompem dando origem a uma espécie de cicatriz.

As estrias costumam surgir à partir do 6 mês de gravidez, tendo como principais causas a predisposição genética e o ganho excessivo de peso. As áreas mais afetadas são a barriga e os seios, pois é onde a pele sofre maior distenção.

Se na gestação de seu primeiro filho não apareceu nenhuma estria, o mais provável é que elas não apareçam mesmo na segunda ou terceira gestação. Entretanto, se você engorgar muito ou se estiver grávida de gêmeos elas poderão surgir.

PREVINA O APARECIMENTO DAS ESTRIAS SEGUINDO ALGUMAS DICAS:

  • Evite o ganho excessivo de peso, na gestação de apenas um bebê é recomendável chegar à 40 semanas (9 meses) tendo um aumento de 9 a 12Kg a mais do que você tinha antes de engravidar.
  • Use sutiã de sustentação com alças largas.
  • Vista calcinha com
    cintura alta
    , específicos para mulheres grávidas, eles vão dar maior resistência à pele do abdômen.
  • Use cremes com propriedades nutritiva e hidratante, específicos para prevenir estrias, é um ótimo aliado, pois a pele desidratada torna-se mais susceptível às rupturas.

Devido ao uso desses cremes, algumas mulheres podem desenvolver um problema na pele chamado foliculite, que é uma inflamação do folículo piloso (local de onde nascem os pêlos). Essa inflamação é ocasionada por produtos que criam uma área de oclusão dificultando a saída do pelo e de sebo. Nesse caso suspenda o uso e procure um dermatologista para te orientar sobre qual o melhor tratamento para você.

Se mesmo com todos esses cuidados as estrias aparecerem você terá que consultar seu dermatologista logo após o nascimento do bebê. Ele vai indicar um tratamento de acordo com o seu tipo de pele (peeling ou aplicação de um ácido, por exemplo).

É possível diminuir e muito a aparência das estrias com tratamento adequado, entretanto é bom saber que não há como acabar definitivamente com elas.